quarta-feira, 8 de agosto de 2012

O BUSCADOR DA VERDADE

Um jovem buscador da verdade decidiu deslocar-se até a cidade de Jaipur para falar com um grande mestre. Depois de meses de caminhada, finalmente o jovem se aproximou do mestre e perguntou:
- O que devo fazer para encontrar a verdade?
O mestre lançou um olhar penetrante ao jovem, respirando fundo e lentamente. A resposta sairia a qualquer instante:
- Meu caro jovem, percebo que seu coração é puro e sua busca sincera. O que posso lhe dizer é que o Ser Supremo se manifesta em todas as coisas do universo.
O jovem, decepcionado, esperava que o mestre lhe passasse informações valiosas, mantras poderosos, técnicas de meditação ocultas, porém, nada disso aconteceu. O buscador da verdade decidiu ir embora; encontraria outro mestre em outra cidade.
Depois de mais de um ano de andanças, o jovem encontrou na cidade de Madras um outro mestre de grande prestígio. O buscador da verdade fez a mesma pergunta para o segundo mestre:
- O que devo fazer para encontrar a verdade?
O mestre, rodeado por vários alunos, olhou para o jovem que fizera a pergunta e disse:
- Eu vou lhe dar a resposta que você quer, porém, antes quero que você trabalhe para mim durante treze anos no meu ashram.
O jovem sentiu um calor dentro do coração; aquelas palavras ressoavam como o início de um caminho sem volta.
- Concordo, mestre. E o que vou fazer no seu ashram?
- Você será o responsável por limpar o esterco das nossas vacas sagradas.
O buscador da verdade acatou o pedido sem nenhuma reclamação, e por treze anos trabalhou com dedicação na tarefa de limpar o esterco das vacas.
Passados os treze anos, o jovem, que não era mais jovem, aproximou-se do mestre e disse:
- Estou preparado para ouvi-lo.
Os treze anos combinados se passaram, agora quero saber o que devo fazer para encontrar a verdade.
O mestre se aproximou do aluno, pousou a mão na cabeça dele e, envolto em um cheiro de esterco de vaca, disse:
- O que posso lhe dizer é que o Ser Supremo se manifesta em todas as coisas do universo.
Ao ouvir tais palavras, o aluno cerrou os olhos, respirou fundo e pela primeira vez na vida sentiu a emoção daqueles que se iluminam. Ao voltar ao seu estado normal, perguntou ao mestre:
- Curioso, há muito anos fiz a mesma pergunta a outro mestre, e ele me deu a mesma resposta, mas naquela época nada aconteceu comigo. Por quê?
O mestre juntou as mãos às do aluno e respondeu:
- A verdade não mudou nesses anos todos, quem se transformou foi você.

{Conto extraído do livro As 14 pérolas da índia -  Brenman, Ilan}
 
ATIVIDADES
QUAL É O TEMA CENTRAL DO TEXTO?
QUAL É A RELAÇÃO ENTRE A VERDADE E A ÉTICA?
A ÉTICA SE TRANSFORMA OU SOMOS NÓS QUE NOS TRANSFORMAMOS?

Nenhum comentário:

Postar um comentário