segunda-feira, 17 de setembro de 2012

CLASSES GRAMATICAIS

Classes gramaticais - Resumo
CLASSES GRAMATICAIS

Palavra variável é a palavra que altera sua forma para indicar um acidente gramatical. Palavra invariável é a palavra de forma fixa.
As palavras, agrupam-se em dez classes gramaticais. Existem classes gramaticais de palavras variáveis e classes gramaticais de palavras invariáveis.

1- SUBSTANTIVO

É a classe gramatical de palavras variáveis as quais denominam os seres. Ex.: giz, Madalena, lousa, mesa, demônio, escola, menino.
Classificação dos Substantivos:
1- Comuns: aplicam-se a todos os seres de uma espécie. Ex.: mesa, país, homem, árvore, livro, cidade.
Próprios: aplicam-se a um único ser de toda espécie. Ex.:
Benedito, Brasil, Rex.
2- Concretos: nomeiam seres de existência real ou que a imaginação dá como tal. Ex.: caneta, Deus, fada, porta. Abstratos: nomeiam estados, qualidades, ações, sentimentos. Ex.: viagem, visita, ódio, amor.
3- Primitivos: não tem origem em outra palavra portuguesa. Ex.: mar, céu, cinza, terra.
Derivados: têm origem em outra palavra portuguesa. Ex.: marujo, cinzeiro, terreno, bondade.
4- Simples: são formados de um só radical. Ex.: tempo, sol, mármore, terreiro.
Compostos: são formados de mais de um radical. Ex.: couve­flor, girassol, fidalgo, pé-de-moleque.
5- Coletivos: nomeiam agrupamentos de seres da mesma espécie.
NOTA - O coletivos é um substantivo singular, mas com idéia de plural.
Flexões do Substantivo:

1. Gênero
Masculino e Feminino
2. Número
Singular e Plural
3. Grau
Aumentativo e Diminutivo

2-ARTIGO

É a classe gramatical de palavras que acompanham os substantivos, determinando-os.
Classificação dos Artigos:
1- Definidos: o, a, os, as - determinam os substantivos de maneira precisa:
Vi o rapaz.
Comprei a motocicleta.
2- Indefinidos: um, uma, uns, umas - determinam os substantivo de maneira vaga:
Comprei um livro. Ofereci-lhe um carro.

3-ADJETIVO

É a classe gramatical de palavras que exprimem qualidade, defeito, origem, estado do ser.
Classificação dos Adjetivos:
1- Explicativo: exprimem qualidade própria do ser.
Restritivo : exprimem qualidade que não é própria do ser.
2- Primitivo: não vem de outra palavra portuguesa.
Derivado: tem origem em outra palavra portuguesa.
3- Simples: formado de um só radical.
Composto: formado de mais de um radical.
Locução Adjetiva:
É toda expressão formada de uma preposição mais um substantivo,
equivalente a um adjetivo.
Ex.:
Homens com aptidão (aptos)
Pé de chumbo (plúmbeo)
Bandeira da Irlanda (Irlandesa) Rapazinho com sossego (sossegado)
Gênero dos Adjetivos:
1- Biformes: tem duas formas, sendo uma para o masculino e outra para o feminino. Ex.: mau - má.
2- Uniformes: têm uma só forma tanto para o masculino quanto para o feminino. Ex.: cruel, feliz.
Graus dos Adjetivos:
1M Grau Comparativo:
Igualdade: tão (tanto, tal) bom como (quão, quanto) Superioridade:
a)Analítico: mais bom que (do que). b) Sintético: melhor que. Inferioridade: menos bom que.
2- Grau Superlativo: - Absoluto:
a) Analítico: muito bom.
b) Sintético: (erudito) ótimo
(popular) boníssimo.
Relativo:
a) Superioridade: o mais bom de.
b) Inferioridade: o menos bom de.

4- NUMERAIS

Classificação dos Numerais:
1- Cardinais: indicam contagem, medida. Ex.: um, dois, três.
2- Ordinais: indicam a ordem do ser numa série dada. Ex.: primeiro, segundo.
3- Fracionários: indicam a divisão dos seres. Ex.: meio, terço.
4- Multiplicativos: indicam a multiplicação dos seres. Ex.: dobro, triplo.
Leitura dos Numerais Cardinais:
Faz-se a leitura do numeral cardinal, dispondo-se a palavra entre e entre as centenas e as dezenas e entre as dezenas e unidades. Ex.:
894 = oitocentos e noventa e quatro.

5- PRONOME

É a classe de palavras que substituem o nome ou a ele se referem.
Pronomes Substantivos e Pronomes Adjetivos:
1- Pronome Substantivo: é o pronome que substitui o nome. Ex.:
Ele não o viu ontem.
2- Pronome Adjetivo: é o pronome que acompanha o nome, juntando-lhe uma característica. Ex.: Aquele rapaz não viu sua prima.
Classificação dos Pronomes: 1- Pronomes Pessoais:
a) Retos: exercem a função de sujeito. (eu, tu, ele/ela, nós, vós, eles/elas)
b) Oblíquos: exercem a função de complementos. (me, te, se ... )
c) Tratamento: são expressões usadas no tratamento cerimonioso ou de respeito. (Vossa Senhoria, Vossa Santidade ... ).
d) 2- Pronomes Possessivos:

Número
Pessoas
Pronomes

1a
Meu (s), minha (s)
Singular
2a
Teu (s), tua (s)

3a
Seu (s), sua (s)

1a
Nosso (s), nossa( s)
Plural
2a
Vosso (s), vossa (s)

3a
Seu (s), sua (s)
3- Pronomes Demonstrativos:
Este (s), esta (s), isto,
Esse (s), essa (s), isso, Aquele (s), aquela (s), aquilo, Mesmo (s), mesma (s), Próprio (s), própria (s), Semelhante (s),
Tal, tais,
O, a, os, as (= aquilo, isto, isso, aquele (s), aquela (s».
4- Pronomes Indefinidos:
Algum, alguns, alguma (s), alguém, algo, muito (s), muita (s), nenhum, nenhuns, ninguém, nada, qualquer, quaisquer, todo (s), toda (s), tudo, cada, um, uns, uma (s), outro (s), outra (s), outrem.
5- Pronomes Relativos:
Que, quem, quanto (s), quanta (s), o qual, os quais, a qual, as quais, cujo, cuja, cujos, cujas, onde, etc ..
6- Pronomes Interrogativos:
Segundo alguns gramáticos, os pronomes interrogativos são algumas formas de pronomes indefinidos empregados nas interrogações diretas ou indireta.

6-ADVÉRBIO

É a classe de palavras invariáveis que indicam circustâncias diversas. O advérbio, dependendo da circunstância que indica.
Classificação do Advérbio:
1- de lugar: perto, longe, aqui, ali, Iá. ..
2- de tempo: ainda, jamais, nunca, sempre ...
3- de modo: bem, mal, assim, calmamente, e quase todas palavras terminadas em mente.
4- de intensidade: muito, pouco, intensamente ...
5- de negação: não, nem (=não) .
6- de afirmação: sim, certamente . .
7 - de dúvida: talvez, quiçá, porventura ...
Advérbios Interrogativos:
São advérbios interrogativos que estabelecem uma interrogação e se
classificam como:
1- de lugar: onde, donde, aonde. 2- de causa: por que.
3- de modo: como.
4- de tempo: quando.
5- de intensidade: quanto.
Locução Adverbial:
É toda expressão que corresponde a um advérbio, desde que formada demais de uma palavra. Ex.: de repente, com certeza, por aqui.
Tanto a locução adverbial como o advérbio modificam o verbo, o adjetivo e outro adverbio. Ex.: não vivemos (verbo) , muito cedo (advérbio).

7 - PREPOSICÃO

É a classe de palavras invariáveis que ligam duas palavras, subordinando a segunda à primeira.
Classificação das Preposições:
1- essenciais: a, ante, após, até, com, contra, de, desde, em, entre, para, per, perante, por, sem, sob, sobre, trás.
2- acidentais: conforme, segundo, consoante, como, afora, mediante, durante.
Locução prepositiva
É a expressão equivalente a uma preposição, formada também por um grupo de palavras. Ex.: a respeito de, perto de, para com.
Combinação:
É a união da preposição a com os artigos o, os, sem que haja alteração de forma. Ex.:
a + o = ao
a + os = aos
Contração:
É a união da preposição com outra palavra, havendo alteração da
forma. Ex.:
em + a = na
de + aquela = daquela per + o = pelo

8- INTERJEICÃO

É a classe gramatical de palavras invariáveis que exprimem um estado emotivo. Dependendo do estado emotivo ( espanto, alivio, advertência, alegria, apelo, dor, lástima, aplauso, imitação de um som ou ruído, saudação, desaprovação, desejo, indignação, desculpa, pena, etc.), as interjeições são classificadas.
O estado emotivo expresso pela interjeição é determinado pela entonação com que é pronunciada. Essa entonação especial é indicada pelo ponto de exclamação. Ex.: íh! (lástima ou perda) , eh! (advertência).
Locução Interjeitiva:
É toda expressão que corresponde a uma interjeição. Ex.:
Ora bolas! Valha-me Deus! Ai de mim!

9- CONJUNCÃO

É a classe de palavras invariáveis que lígam duas palavras ou orações entre si. Locução Conjuntiva é a expressão equivalente a uma conjunção.
Classificação das principais Conjunções e Locuções Conjuntivas:
A) Coordenadas:
1- aditivas: e, nem (=e não), mas também, mas ainda, como também, bem como.
2- adversativas: mas, porém, contudo, todavia, entretanto, no entanto, senão.
3- alternativas: ou ... ou, ora ... ora, já ... já.
4- conclusivas: logo, portanto, por conseguinte, por isso, pois (depois do verbo)
5- explicativas: que, porque, porquanto, pois (antes do verbo)
B) Subordinativas:
1- causais: porque, porquanto, visto que, como (= porque), desde que, pois, dado que, já que, uma vez que, que (= porque), visto como.
2- concessivas: embora, ainda que, se bem que, mesmo que, posto que, por mais que, por menos que, por muito que, por pouco que, apesar de que, conquanto, sem que (= embora não).
3- condicionais: se, caso, contanto que, salvo se, a não ser que, a menos que, desde que, sem que (= senão).
4- conformativas: como, conforme, segundo, consoante.
5- comparativas: como, do que, quanto, qual, que nem, tal e qual, que.
6- consecutivas: que, sem que, de forma que, de jeito que. 7- finais: para que, a fim de que, que (= para que), porque (= para que).
8- temporais: quando, enquanto, antes que, depois que, logo que, assim que, agora que, mal, apenas, até que, desde que, sempre que.
9- proporcionais: à medida que, à proporção que, quanto mais, quanto menos.

10-VERBO

É a classe de palavras variáveis em pessoa, número, tempo, modo e voz, que indicam ação (correr), estado (ficar), fenômeno (chover), fato (nascer).
Flexões Verbais:
1- Pessoa: varia a forma verbal para indicar a pessoa gramatical a
que se refere:
1a pessoa: orador (que fala)
2ª pessoa: interlocutor (com quem se fala) 3a pessoa: assunto (de que se fala)
2- Número: varia a forma verbal para indicar o número de sujeitos a que se refere:
Singular: refere-se a um único sujeito. Plural: refere-se a mais de um sujeito.
3- Tempo:
Presente: indica a ação que acontece durante o momento em que se fala.
Pretérito: indica a ação que acontece antes de se falar. Futuro: indica a ação que vai acontecer depois de se falar.
4- Modo:
!ndicatívo: indica uma realidade
Subjuntivo: indica uma dúvida, uma possibilidade. Imperativo: indica uma ordem, um pedido, um conselho, um desejo, uma súplica.
Além dos três modos verbais, existem as três formas nominais:
1- infinitivo: passa o substantivo. Ex.: andar = o andar. 2- gerúndio: passa a substantivo. Ex.: formando = o formando.
3- particípio: passa a substantivo ou adjetivo. Ex.: realizado = trabalho realizado.
5- Voz: indica se o sujeito pratica ou recebe ação. Há três vozes verbais:
1- voz ativa: o sujeito pratica a ação ( agente ).
2- voz passiva: o sujeito sofre a ação ( paciente) 3- voz reflexiva: o sujeito pratica e recebe a ação.

quarta-feira, 8 de agosto de 2012

O BUSCADOR DA VERDADE

Um jovem buscador da verdade decidiu deslocar-se até a cidade de Jaipur para falar com um grande mestre. Depois de meses de caminhada, finalmente o jovem se aproximou do mestre e perguntou:
- O que devo fazer para encontrar a verdade?
O mestre lançou um olhar penetrante ao jovem, respirando fundo e lentamente. A resposta sairia a qualquer instante:
- Meu caro jovem, percebo que seu coração é puro e sua busca sincera. O que posso lhe dizer é que o Ser Supremo se manifesta em todas as coisas do universo.
O jovem, decepcionado, esperava que o mestre lhe passasse informações valiosas, mantras poderosos, técnicas de meditação ocultas, porém, nada disso aconteceu. O buscador da verdade decidiu ir embora; encontraria outro mestre em outra cidade.
Depois de mais de um ano de andanças, o jovem encontrou na cidade de Madras um outro mestre de grande prestígio. O buscador da verdade fez a mesma pergunta para o segundo mestre:
- O que devo fazer para encontrar a verdade?
O mestre, rodeado por vários alunos, olhou para o jovem que fizera a pergunta e disse:
- Eu vou lhe dar a resposta que você quer, porém, antes quero que você trabalhe para mim durante treze anos no meu ashram.
O jovem sentiu um calor dentro do coração; aquelas palavras ressoavam como o início de um caminho sem volta.
- Concordo, mestre. E o que vou fazer no seu ashram?
- Você será o responsável por limpar o esterco das nossas vacas sagradas.
O buscador da verdade acatou o pedido sem nenhuma reclamação, e por treze anos trabalhou com dedicação na tarefa de limpar o esterco das vacas.
Passados os treze anos, o jovem, que não era mais jovem, aproximou-se do mestre e disse:
- Estou preparado para ouvi-lo.
Os treze anos combinados se passaram, agora quero saber o que devo fazer para encontrar a verdade.
O mestre se aproximou do aluno, pousou a mão na cabeça dele e, envolto em um cheiro de esterco de vaca, disse:
- O que posso lhe dizer é que o Ser Supremo se manifesta em todas as coisas do universo.
Ao ouvir tais palavras, o aluno cerrou os olhos, respirou fundo e pela primeira vez na vida sentiu a emoção daqueles que se iluminam. Ao voltar ao seu estado normal, perguntou ao mestre:
- Curioso, há muito anos fiz a mesma pergunta a outro mestre, e ele me deu a mesma resposta, mas naquela época nada aconteceu comigo. Por quê?
O mestre juntou as mãos às do aluno e respondeu:
- A verdade não mudou nesses anos todos, quem se transformou foi você.

{Conto extraído do livro As 14 pérolas da índia -  Brenman, Ilan}
 
ATIVIDADES
QUAL É O TEMA CENTRAL DO TEXTO?
QUAL É A RELAÇÃO ENTRE A VERDADE E A ÉTICA?
A ÉTICA SE TRANSFORMA OU SOMOS NÓS QUE NOS TRANSFORMAMOS?

LENDA JAPONESA

LENDA JAPONESA

Era uma vez um grande samurai que vivia perto de Tóquio.
Mesmo idoso, se dedicava a ensinar a arte zen aos jovens. 
Apesar de sua idade, corria a lenda de que ainda era capaz de derrotar qualquer adversário. 
Certa tarde, um guerreiro conhecido por sua total falta de escrúpulos apareceu por ali. Queria derrotar o samurai e aumentar sua fama. 
O velho aceitou o desafio e o jovem começou a insultá-lo.
Chutou algumas pedras em sua direção, cuspiu em seu rosto, gritou insultos, ofendeu seus ancestrais.
Durante horas fez tudo para provocá-lo, mas o velho permaneceu impassível.
No final do dia, sentindo-se já exausto e humilhado, o guerreiro retirou-se. 
E os alunos, surpresos, perguntaram ao mestre como ele pudera suportar tanta indignidade. 
  - Se alguém chega até você com um presente, e você não o aceita a quem pertence o presente?
- A quem tentou entregá-lo, respondeu um dos discípulos. 
- O mesmo vale para a inveja, a raiva e os insultos. Quando não são aceitos, continuam pertencendo a quem os carregam consigo. 
MORAL DA HISTÓRIA:
A sua paz interior depende exclusivamente de você.
As pessoas não podem lhe tirar a calma. Só se você permitir.

Texto extraído do site: http://pensamentoslucena.spaceblog.com.br/73716/Lenda-Japonesa/

SUGESTÕES DE ATIVIDADES

1) Leia com atenção o texto com seus colegas, reflitam sobre o seu conteúdo. Então se organizem e ensaiem uma teatralização do mesmo. Depois apresentem-na para todas a classe.

2) Comente com suas palavras o que você achou mais interessante nesta história.

3) Copie a moral da história e ilustre-a com um desenho.

4) Para refletir e dialogar: Muitas religiões e filosofias de vida nos ensinam que o objetivo da vida é ser feliz, e que a felicidade é uma conquista que depende de cada um de nós. Depende do nosso jeito de viver, de realizar com alegria e dedicação as nossas tarefas e principalmente, saber relacionar-se com as pessoas.

Somos educados quando tratamos os outros com respeito e atenção, e isto nos faz pessoas bem aceitas pelos outros.
Mas no caminho da nossa vida podemos encontrar aqueles que querem nos chatear, nesse caso, o aconselhável é nos afastarmos e não darmos atenção aos seus insultos, não permitindo que nos tirem a paz interior, que é o segredo de uma vida feliz.
Quando isso acontecer na escola devemos comunicar nossos professores ou o supervisor responsável pelo bom andamento das atividades e recreio na escola. E não partir para a agressão.
Como você costuma reagir diante de pessoas, colegas da escola que querem contrariar você?

5) Escreva uma lista com no mínimo cinco objetivos de vida que podem tornar a sua vida mais feliz. Entre esses objetivos escreva um que mostre como você pode melhor relacionar-se com as pessoas.



DISSERTAÇÃO-ATIVIDADES

Modelo de Texto Dissertativo

Floresta, uma riqueza a proteger

Vitor Sousa

A floresta é um importante Recurso Natural, cumpre funções de proteção ambiental, de produção e de recreio e por isso importa proteger e promover. A gestão florestal passa cada vez mais por assumir a floresta como um todo, como um espaço de uso múltiplo, onde as diferentes atividades como a produção de madeira e fruto, a silvopastoricia, a caça, a pesca, a apicultura, os passeios pedestres, o turismo da natureza, entre muitas outras, proporcionam um rendimento contínuo e regular, sem ser exclusivamente o retirado do corte de árvores, ao mesmo tempo que contribuem para a proteção contra incêndios e proteção da natureza.
( Introdução)
Sabendo do importante papel que desempenha um espaço florestal, é de extrema importância protegê-lo. Com o aproximar do Verão o risco de incêndio aumenta, locais sem limpeza e com grande quantidade de “combustível” acumulado constituem um perigo para as populações locais e para o espaço florestal. A proteção das pessoas e bens tem de estar acautelado. A limpeza de caminhos e aceiros é fundamental para um rápido e eficaz combate ao incêndio florestal. Só assim cumprem as funções a que estão destinados, ou seja, evitar que um incêndio se propague por uma grande área. (desenvolvimento)
Cabe ao cidadão tomar medidas de auto-proteção, onde a mais importante é a limpeza em redor da sua habitação, no entanto cabe aos gestores políticos, o não menos importante papel de informar e sensibilizar a população local sobre as medidas que podem e devem ser tomadas para sua proteção. Ir junto da população é, em alguns casos, a única forma de acesso a este tipo de informação. Informar o cidadão comum, é contribuir para a sua segurança e para a segurança dos bens e floresta que o rodeiam.(conclusão)
(Modelo de texto dissertativo)

  1. Dê continuidade aos textos a seguir, utilizando uma das técnicas indicadas entre parêmteses:
    a) Há dois aspectos que devem ser considerados quando se discute preveção contra Aids: a veinculação de informações sobre medidas preventivas e a mudança da metalidade e dos valores das pessoas. (alusão histórica)

    b) Que futuro terão os 16 milhões de brasileiros que são analfabetos? ( interrogação)

    c) O mundo está passando por uma séria recessão provocada pela volatilidade dos fluxos internacionais de capital especulativo. O dinheiro hoje está num país e como num passe de mágica e com algumas tecladas num computador, pode ir parar em outro país que o especulador julgar mais rentável ou mais seguro. (declaração inicial)

    d)
    Alguns países defendem a democracia, porém o povo não está preparado para tê-la. É necessário que se tenha um domínio cultural para que tenhamos um povo digno. (Definição)

HISTÓRIA DA CIDADE DE BARRA DO GARÇAS

HISTÓRIA DA CIDADE
Barra das Garças originou-se as  margens dos rios Garças e Araguaia começou o povoamento. A criação do município ensejou encampação do município de Araguayana. Não uma simples mudança de sede como foi Lajeado. Durante a Guerra do Paraguai foram criados três presídios na região do Araguaia: Ínsua, Passa Vinte e Macedina, que também serviam de postos de registro fiscal.
Nas andanças entre os presídios, os militares faziam parada na foz do Rio das Garças. O local de referência era assinalado por uma pedra, a pedra da Barra Cuiabana, sendo essa a primeira denominação da localidade. A lendária pedra da Barra Cuiabana situava-se na foz do Rio Garças com o Araguaya, e hoje está tombada pelo Patrimônio Histórico Municipal.
O incremento da atividade garimpeira aconteceu de forma imprevisível, e tornou possível o surgimento de uma povoação de apoio. Antonio Cristino Côrtes, que havia chegado à região na segunda década do século XX, dedicou-se a formar a futura cidade de Barra do Garças.
Alinhou as primeiras ruas, designou as primeiras quadras e distribuiu lotes. De baliza em punho bancou o engenheiro, marcando a avenida que hoje leva seu nome.
A fase áurea do garimpo na região de Barra do Garças durou até a década de quarenta. Neste período a povoação ganhou importância devido ao crescimento acentuado. Foi nesta época que se instalou em Aragarças, defronte ao sítio de Barra do Garças, a Fundação Brasil Central cujo objetivo era implementar a Marcha para o Oeste, determinada  por Getúlio Vargas.
Barra do Garças, em pouco tempo, tornou-se o maior pólo econômico do leste mato-grossense, suplantando em tamanho e importância, todas as cidades, vilas e corrutelas dessa região. O município de Barra do Garças foi criado pela Lei Estadual  nº 121, de 15 de Setembro de 1948.  
Significado do Nome
Seu nome deve-se ao local onde se iniciou sua colonização, um porto no Rio Garças, sendo Barra sinônimo de Porto.
Aniversário da Cidade
15 de Setembro
Gentílico
barra-garcense
População
56.903 habitantes
 CARACTERÍSTICAS
Municípío-pólo comercial e de serviços da região do Alto Araguaia, na divisa do Mato Grosso com Goiás, centro geodésico (ponto mais central) do Brasil, cercado por fazendas de gado e plantações de soja, rios e cerrado, Barra do Garças é conhecida como Portal da Amazônia, pois está na entrada do paralelo que delimita a Amazônia Legal. Oferece praias fluviais, cachoeiras, serras de formação arenosa e fontes hidrotermais, sendo muito procurada por turístas, além disso, é conhecida pelos ufólogos como um dos pontos de maior registro de aparições de Ovnis, possuindo até um aeroporto para eles. Sua altitude, sua topografia e seu clima favorecem à prática de esportes radicais, sediando eventos esportivos a nível estadual e nacional e à pesca no Rio Araguaia onde se pode observar ao lendário boto. É uma importante reserva de vida selvagem apresentando fauna diversificada misturando a típica do cerrado com a das matas e várzeas. Seu padroeiro é Santo Antônio.
Clima 
Tropical
Temperatura Média
22° C
 COMO CHEGAR
Partindo de Cuiabá: BR-070
Localização
Município da Região Nordeste do Estado de Mato Grosso
Limites
Araguaiana, Nova Xavantina, Novo São Joaquim, General Carneiro, Pontal do Araguaia, Aragarças (GO) e Montes Claros de Goiás (GO)
Acesso Rodoviário

BR-070

Distâncias:

Da Capital:
510 Km
Outras:

 TURISMO:
Resumo:
Principais Pontos Turísticos
Parque Municipal das Águas Quentes
Localizado no perímetro urbano de Barra do Garças, o Parque é uma área de lazer com piscinas hidrotermais, toboágua, rio da preguiça, bar molhado, com temperaturas que variam de 31 a 43 graus com propriedades terapêuticas como a diminuição da viscosidade do sangue, aumento da vitalidade sexual, melhora da digestão gástrica e duodenal, servindo também à fisioterapia.
Além dos banhos, o parque oferece uma estrutura com bares, restaurantes, duchas, vestiários e instrutores de hidroginástica e ginástica de alongamento. Tudo isto com a preservação da Mata Permanente original.
Rio Araguaia
É o principal rio da região, sendo o divisor natural dos estados de Mato Grosso, Goiás e Tocantins e tendo contribuído intensamente na história da cidade.
No passado serviu de entrada para os pioneiros, de palco para garimpes de diamantes e de cenário para a Guerrilha do Araguaia. Hoje é uma das maiores atrações da cidade, atendendo aos amantes dos esportes náuticos e da pesca, podendo-se encontrar peixes típicos da Bacia Amazônica.
Durante o período da seca surgem belíssimas praias que podem ser curtidas justamente na época em que o sul e o sudeste do país estão em pleno inverno. Em especial a Praia Quarto Crescente na cidade vizinha de Aragarças (GO) e a praia da Arara na cidade de Pontal do Araguaia (MT), todas as duas badaladíssimas com apresentação de shows, esporte e muito embalo. A surpresa agradável fica com acontecimentos culturais que ocorrem na mesma ocasião na cidade de Barra do Garças.
O toque exótico fica por conta dos saltos que os botos cor-de-rosa costumam dar nos fins de tarde nas águas do Araguaia.
Complexo Turístico Salomé J. Rodrigues (Porto do Baé)
Espaço de multiuso composto de arquibancada, vão livre coberto e arena, com capacidade de aproximadamente 10.000 pessoas e total infra-estrutura para shows artísticos, quadra poliesportiva, quiosques, lanchonetes, restaurante flutuante, centro cultural, rampa para skate e área de lazer para crianças, rampa de embarque e desembarque para barcos, lanchas e jet-skys no Araguaia, com arquibancadas de concreto para eventos náuticos e lanchonetes.
Também lá se realizam eventos culturais, apresentações artísticas, rodas de capoeira e esportes em quadra de areia.
Parque Estadual na Serra Azul
O parque encontra-se a 4 km do centro da cidade e sua área é de 11.000 ha. Os Índios Bororós utilizavam este local para sua subsistência e o denominavam KIEGUEREIRAL que significa morro lugar dos pássaros devido a grande diversidade de aves que ali habitam até os dias de hoje.
A fauna e a flora exuberante convivem harmoniosamente com cachoeiras, fendas e cavernas, sítios paleontológicos e arqueológicos, formações rochosas curiosas, trilhas belíssimas e bosques nativos.
Ainda dentro do parque encontra-se o marco do centro geodésico do Brasil, o local do futuro Discoporto e o Mirante do Cristo, de onde se descortina toda a cidade e o encontro dos rios Garças e Araguaia, um verdadeiro convite à emoção.
Vale a pena conferir o circuito das cachoeiras, dentre elas a da Maçonaria e a do Pé-da-Serra.
Trilhas e Cachoeiras
A região possui um dos maiores mananciais de cachoeiras, a maioria delas visitáveis através de trilhas de fácil acesso.
Cachoeiras com escorrega natural, grutas atrás da cortina dágua, quente ou fria, com piscinas ou poços naturais, enfim, cachoeiras para todos os gostos (destaque para as cachoeiras Cristal e Bateia).
Serra do Roncador
Este nome vem do ronco que muitos ouvem desta serra que tem sua história marcada por aventuras, lendas e mistérios como o desaparecimento do Coronel Fawcett em busca da Atlântida, fato que até hoje atrai expedições do mundo inteiro.
A origem da civilização inca, o paralelo 16, o templo de Ibez, o caminho de Ió, Agartha, Shamballah, o chácra do planeta, o Portal de Aquarius, vulcões extintos, fósseis de dinossauros e discos voadores são atrativos para cientistas, curiosos e místicos de toda parte.
Com diversas comunidades esotéricas instaladas, a cidade é conhecida mundialmente como santuário místico e metafísico.
Mistério do Roncador
Caverna dos Pezinhos
Através de uma trilha do Parque estadual da Serra Azul, chega-se a uma entrada de caverna, bloqueada por rochas. Nesta entrada, tanto nas paredes quanto no teto, várias marcas de pegadas de animais e humanas (?), muitas delas com 6 dedos. O que significam? Como foram parar nas paredes e no teto? Seriam pegadas ou inscrições? Porque a visitação é restrita pela Aeronáutica?
Portais no Roncador
Lendas e mistérios envolvem a Serra do Roncador. O que seriam os portais do Roncador? Onde estão? Para onde levam? Porque tantos buscam Atlântida ou Shamballah no Roncador? O que seriam os crânios de cristal que algumas pessoas procuram?
Lagoa Encantada
Esta lagoa se encontra em território indígena e é muito profunda, sem ter sido ainda determinada. Apesar da imensa quantidade de água, não existe nenhuma forma de vida nela. Localiza-se à entrada de uma caverna, também muito profunda e inexplorada. Os índios não entram na lagoa por medo e na caverna, apenas o cacique é autorizado, pois dizem que é habitada por seres. Quem seriam estes seres? Porque nenhuma forma de vida sobrevive na lagoa? Porque os índios guardam a entrada desta caverna?
Gruta Seca
Uma ampla câmara inicial se abre em vários túneis e outras câmaras. Uma destas câmaras abriga um mobiliário de pedra muito interessante, semelhante aos modernos. Outra delas tem no centro uma formação de estalactites e estalagmites com forma de imensa árvore, com uma espécie de parlatório no alto e um dos túneis não se consegue chegar ao final, pois qualquer forma de iluminação utilizada se apaga. Quem viveu ali? Para onde vai o túnel?
Cel. Percy Fawcett
Esteve pelo Roncador em suas andanças e descobriu alguma coisa aqui. A prova disto é que seu sobrinho-neto Timothy Fawcett veio aqui 2 vezes ao ano por 19 anos, rastreando os caminhos do tio-avô, através dos relatos das cartas que mandava para sua esposa Nina. Timothy dizia que os relatos oficiais de Fawcett eram diferentes para despistar e que a família conhece a verdade. Ao final de sua pesquisa, Timothy afirmava que o último vestígio do tio-avô seria na Gruta Seca. O que aconteceu com Fawcett? Para onde foi? O que teria descoberto? O que contam seus relatos para a família?
Pedra S. S. Arraya
A pedra que hoje se encontra em exibição no Porto dos Pioneiros tem a ver com a história de fundação da cidade, colonizada por levas de garimpeiros atraídos pela história de uma garrafa de diamantes enterrada sob ela, no leito do Rio Araguaia, por garimpeiros que fugiam de um ataque de índios. Quando retornaram para buscar a garrafa, o rio estava mais cheio e escreveram na pedra o nome de um deles, para facilitar a busca mais tarde. O curioso é que quando a pedra foi retirada do rio para ser exposta, várias outras marcas foram observadas, muito mais antigas, vários círculos concêntricos, como nas pedras de altares incas. Estas inscrições existem em outras pedras no rio, no mesmo local de onde esta pedra foi retirada. Quem fez as inscrições? Porque motivo? Qual a ligação do Araguaia com os incas?
Tribos indígenas
Os Xavantes falam com medo de grandes bolas de fogo no céu ou focos de luz do céu iluminando a aldeia à noite. O que seriam estas bolas de fogo? Que tipo de equipamento apareceria à noite em regiões isoladas?
Pedras em formato de disco – Porque em locais onde existem mais ocorrências aparecem várias pedras em formato de disquinhos? Qual o seu significado? Como se formaram?
Discoporto
Local demarcado por lei na Câmara Municipal para construção de um futuro discoporto. A Serra Azul (braço da Serra do Roncador) foi escolhido por serem os relatos de aparições sempre associados à esta serra (ou vêm de lá ou vão para lá). Qual a relação da serra com as aparições? Porque os relatos nunca incluem um pouso? Porque as aparições sempre “somem na serra” ou “saíram da serra”?
Grutas e Cavernas
A região possui muitas grutas e cavernas, algumas ainda inexploradas, o que aguça a curiosidade de todos que visitam a cidade.
Dentro do Parque Estadual da Serra Azul encontram-se a Caverna dos Pezinhos com inscrições arqueológicas e a Gruta dos Macacos dentre outras.
Na região encontra-se cavernas com câmaras de grande porte, galenas e até com lagos subterrâneos de água calcária, de um azul belíssimo.
Tribos indígenas
Algumas tribos indígenas se localizam na região como os Xavante e os Bororó, e suas reservas também oferecem belezas naturais e atrativas.
A cidade possui lojas especializadas em vendas de artefatos e vídeos do folclore indígena. A visitação às Aldeias indígenas requer prévia autorização da Funai.
Esportes
A altitude, a topografia e o clima da cidade favorecem a prática de muitas modalidades esportivas, sendo muito procurada para vôo livre, paraglider, pára-quedismo e cannyoning (rapel).
Além dos esportes náuticos, a cidade também sedia eventos esportivos a nível estadual e nacional como campeonatos de motocross, mountain bike, encontros de motocicletas de grande porte e esportes de quadra, várzea e areia.
Os principais eventos esportivos promovidos pela cidade são:
Motorcycle
No dial 1° de maio a cidade se prepara para receber centenas de motocicletas, vindos de todo o Brasil para o Motorcycle da Barra, é um encontro de motos de grande porte cujo evento colocou a cidade na rota dos principais motoclubes.
FNPA - Festival Nacional de Pesca do Araguaia
Acontecendo no mês de setembro, o Festival paralisa a atenção da cidade, à qual se volta toda para as margens do Rio Araguaia (Porto do Baé). Com uma premiaçáo excelente atrai pescadores de todas as regiões.
 EVENTOS:
Calendário de Janeiro a Dezembro:
Canaval de Rua
Data: Fevereiro
Romaria ao Mirante do Cristo
Data: Semana Santa, abril
Semana do Índio
Data: Abril
Semana do Meio Ambiente
Data: Maio
Festa de São Pedro
Data: Junho
Festival do Vinho
Data: Junho
Temporada de Praia
Data: Julho
Copa Rossi de Tiro/ Campeonato Nacional de Tiro
Data: Agosto
Expoleste/ Exposição Agropecuária
Data: Setembro

Aniversário do Município
Data: Setembro
Festa do Cajú
Data: Outubro